domingo

Top 6!! - Os melhores Rouba-Cenas!!

Pessoas que por aqui passam, para comemorar o início das minhas férias, está de volta o Top 6! Dessa vez é sobre Os Melhores Rouba-Cenas da História. Veja bem, sabe quando tem na nomeação do Oscar a categoria melhor ator ou atriz coadjuvante? Então, aqui a história é diferente, não é sobre o melhor-segundo-lugar, é sobre aquele personagem que aparece como quem não quer nada, e de repente, sem ninguém notar, rouba totalmente a cena. E nos momentos X da história, você se pega perguntando: cadê ele? O que ele diria nessa situação? Como ele reagiria? E quando insistem com a mocinha ou o mocinho, você se pega xingando e pensando como podem desperdiçar a história com personagens tão chatos.

Deu para entender a situação, certo?!

Encontrar os melhores rouba-cenas não foi tão fácil como eu achei que seria a princípio, pois apesar de serem encantadores, engraçados e carismáticos, esses personagens não são tão comuns. Mas se você abrir bem os olhos, em algum momento vai encontra-los e então vai entender exatamente sobre o quê eu estou falando, e nessa hora você só vai poder concordar: não tem como não se render aos encantos de um rouba-cena!

Número 6

Charlotte La Bouff– personagem secundária no filme infantil da Disney A Princesa e o Sapo.

Charlotte, ou Lottie para os mais íntimos, surpreende em muitos aspectos. Ela tem o estereótipo perfeito da patricinha má: é bonita, rica, loira e com adoráveis olhos claros, e sua melhor amiga é a filha da costureira, Tiana. Não sou a única a ver um padrão, certo?

Ela sempre teve tudo o que quis, é egocêntrica e muito mimada, absurdamente agitada e seu maior sonho é se casar com um príncipe e viver uma história de amor como nos livros.

Então quando o príncipe Naveen da Maldonia vem para Nova Orleans, Charlotte fica absolutamente encantada com a ideia de poder finalmente realizar seu sonho. Mas quando o destino une Tiana com o príncipe, ambos transformados em sapos, e a única que pode quebrar o encanto é a Charlotte, por ser a princesa de um desfile, ela abre mão de seu sonho – o príncipe – pela felicidade de sua melhor amiga. Talvez seja sua personalidade egoísta que nos faz pensar que quando descobrisse que Naveen estava apaixonado pela Tiana, Charlotte simplesmente surtaria, ou se consideraria vítima da maior traição, mas sua atitude gentil surpreende, principalmente porque confirma seu papel como a melhor amiga da mocinha, um papel típico em uma personalidade diferente, certamente único no estilo Disney.

Mesmo se tratando de um desenho Disney fica com o 6° lugar por ser original, diferente, intensa e engraçada. A Tiana é uma das princesas Disney que eu mais gosto – depois da Mulan, mas a Charlotte simplesmente rouba a cena toda vez que aparece, talvez seja porque as princesas Disney sejam muito certinhas e um tanto sérias, ou talvez porque a Charlotte seja uma rouba-cena nata. Seja como for, palmas para ela!!

Seu visual foi inspirado na Marilyn Monroe.


Uma das coisas que eu mais gosto nessa personagem é a voz que originalmente é dublada pela atriz americana Jennifer Cody.

“Travis, quando uma mulher diz ‘mais tarde’ ela na verdade quer dizer nunquinha. Se manda!”

“Sabe, eu estava começando a pensar que pedido para a estrela era uma coisa imatura, para crianças... e pessoas doidas.”

“Príncipe Naveen!! Sua noiva pura e recatada está ficando impaciente!!!”

“- Quem diria que o príncipe tinha um irmão caçula. Que idade você disse que tem mesmo?
- Seis anos e meio.
- Tudo bem, eu espero um tempinho.”

“Hoje à noite meu príncipe finalmente vai chegar. E eu seguro ele e juro que não largo.”



Número 5

Kenzi– personagem da série canadense Lost Girl do canal ShowCase, é interpretada pela belíssima Ksenia Solo, uma atriz canadense com origem russa.

Em um mundo inspirado nas mais diversas mitologias, temos Bo, uma súccubus que cresceu à margem de ambas as sociedades – ela não sabia o que era. Então ela encontra Kenzi, que é a típica melhor amiga e parceira da mocinha. Elas se unem em um tipo de sociedade: moram juntas e tem um negócio de detetive particular em que os poderes da Bo se fazem quase sempre necessário.

Pouco se sabe do seu passado, apenas que ela teve que aprender a se virar sozinha e muitas vezes de forma não tão dentro da lei – ela tem uma forte tendência cleptomaníaca!

Ela é irônica e tem um senso de humor único, não é raro vê-la com os mais diferentes penteados e perucas coloridas, ela tem um senso de moda um tanto gótico, o que muitas vezes deixa sua aparência física exótica mais acentuada.

Ela se mistura às criaturas míticas sem o menor problema não se assustando com as bizarrices desse universo e mantendo seu posto de parceira fiel com classe e boas doses de risadas.

Não tem como dizer que a Bo seja uma personagem apagada, mas a grande maioria das pessoas que assistem a série, em algum momento, chegam à conclusão de que a Kenzi não apenas rouba a cena, como muitas vezes salva o episódio.

Kenzi é a alma da série. Ou o coração, se preferir.

Ganhou o 5° lugar!


“Você é bonita. Vi você comer o rosto dele. Foi incrível!”

“Mamãe sempre diz: ache os mais fortes no parque e seja amiga deles. Com certeza você é a mais forte nesse parque.”

“Em minha defesa, verdade é para mariquinhas.”

“Sei lidar com monstros assustadores, mas patricinhas me dão nos nervos.”

“Por favor, diga que você encontrou algo para que possamos voltar para casa. Passar o dia sorrindo me mata.”

“Não me surpreenderia. Médicos são mais vigaristas que eu.”

“Eu acabei de acordar em Nárnia? Ou será que é a febre falando?”

“Para um Viagra ambulante você é tão nerd!”

“Você ouviu isso? Parece um sussurro de criança ou elfos rindo. Você trouxe elfos ontem à noite? Eu não estou julgando, só quero saber.”

“Eu posso ter sangue nobre. Vai que algum Duque ficou com minha tataravó? Tenho certeza que ela era fogosa!”

“Se você matar o Zé Colmeia ou o Catatau, eu nunca mais falo com você.”





Número 4

Pino– personagem do desenho japonês Ergo Proxy dos estúdios Manglobe exibido em 2006 pelo canal japonês WOWOW.

A série se passa em um futuro onde humanos convivem com robôs que se chamam AutoReivs, mas um misterioso vírus de computador começa a infectar os robôs dando-lhes consciência. Pino é um desses robôs infectados e isso não apenas lhe conferiu consciência como também, personalidade. E uma personalidade encantadora, diga-se de passagem.

Os personagens principais são Vincent Law e Re-l Mayer que se envolvem na investigação de uma série de misteriosos assassinatos onde os suspeitos são os robôs infectados.

Enquanto Re-l é muito séria e obcecada em descobrir a verdade que a Inteligência vem tentando encobrir, e Vincent é um tanto confuso tentando descobrir a verdade em seu misterioso passado, Pino pode facilmente ser considerada a alma da série com seu jeito alegre e toda sua inocência que a faz parecer uma criança tão humana.

Na maior parte do tempo ela não tem a menor noção do perigo (adoro personagens assim!) e usa uma roupinha engraçada de coelho cor de rosa.

A você que tem preconceito por se tratar de um desenho, eu te desafio a assistir essa série e não ficar intrigado com a complexidade da trama e seus personagens. E enquanto estiver assistindo, não se esqueça de prestar atenção na Pino, apesar de que, provavelmente ela vai roubar sua atenção antes mesmo que você perceba! ^^


Número 3

Iracebeth de Carmesim – mais conhecida como a Rainha Vermelha, interpretada por Helena Bonham Carter no filme Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland) dirigido por Tim Burton.

Foi um dos filmes mais aguardados em 2010, tanto por ser inspirado no clássico infantil de Lewis Carroll, como por trazer o irreverente Tim Burton como diretor, e ainda Johnny Depp como o Chapeleiro Maluco. Apesar do estrondoso sucesso de bilheteria houve muita gente que aparentemente esperava mais, eu mesma escutei inúmeras pessoas com essa opinião pessoal sobre o filme. Sinceramente, eu amo Alice e todos os seus personagens - pouco me importa a versão da história, talvez por isso eu não tenha me decepcionado. Mas se por um lado os personagens eram como eu havia esperado, por outro, eu fiquei totalmente surpresa com a personagem vivida pela Helena, que simplesmente roubou a cena e deixou a história mais Rainha Vermelha do que Alice.

A Rainha Vermelha é uma típica vilã usurpadora do trono da irmã, a boazinha da história. Ela é má – mas de um jeito mais simples que a maioria das vilãs, ela é mimada, egoísta, explosiva e não possui a menor empatia por quem quer que seja. Toda essa personalidade é na verdade resultado de um enorme complexo de inferioridade que ela tem por causa de sua enorme cabeça – dizem que é por isso que ela gosta tanto de mandar cortar a cabeça de qualquer um.

Diálogo entre Alice e a Rainha Branca sobre a Rainha Vermelha:

“- Diga-me, o que achou dela?
- Perfeitamente horrível.
- E sua... cabeça?
- Bulbosa.”

Ela vive em um palácio repleto de pessoas estranhas que na verdade são um bando de falsos que fingem alguma anomalia física para ter a proteção da rainha, e ela sente uma imensa raiva da irmã boazinha, a Rainha Branca, por ela ser mais bonita e mais amada, e obviamente, por não ter um cabeção. Ela tem uma queda pelo Valete de Copas Stayne, e fica literalmente vermelha quando chega a seus ouvidos um possível envolvimento dele com Alice, que ela acreditava se chamar A.

Ela é na verdade uma fusão de duas figuras distintas da obra de Lewis Carrol: a Rainha de Copas (que pertence a um baralho de cartas e que está presente no primeiro livro, Alice no País das Maravilhas) e da legítima Rainha Vermelha (que é representada por uma peça de xadrez vermelha). O bordão que a Rainha Vermelha repete por todo o longa-metragem – "cortem-lhe a cabeça" – na verdade pertence à Rainha de Copas. O motivo da mudança de nomes parece ser a necessidade de contrapô-la à etérea e meiga Rainha Branca, sua oponente na trama. Porém nos livros originais não há vilões nem mocinhos, e as duas supostas rivais até tomam chá juntas.

“Preciso de um porco aqui! Adoro uma barriga de porco sob meus pés doídos.”

“Tem razão, Stayne. É melhor ser temida do que amada.”



Número 2

Spencer Shay – personagem do seriado iCarly do canal Nickelodeon interpretado pelo ator Jerry Trainor.

Exatamente! Mais um personagem de iCarly no top 6!! Na verdade a ideia desse top surgiu por causa desse personagem quando notei que não era a única a me render aos encantos desse rouba-cena em particular.

Spencer é o irmão mais velho e guardião legal da Carly, já que seu pai está a serviço em um submarino em algum Oceano por aí. Ele é totalmente doido, exagerado, um pouco infantil e totalmente sem noção. Está sempre atrás de uma namorada nova, se metendo nas situações mais engraçadas – e estranhas.

Ele cursou a faculdade de direito por três dias e decidiu se tornar artista. Quando perguntado se já havia contado ao pai sobre sua mudança de profissão, ele apenas disse que ainda não houve tempo, mudando imediatamente de assunto. Ele então se torna um escultor, e suas esculturas são as mais bizarras possíveis. Ele é desastrado e vive levando tombos absurdos ou colocando fogo em objetos que, normalmente, não pegariam fogo. Apesar da minha personagem preferida na série ser a Sam, não tem como negar que sem o Spencer não teria a mesma graça. Spencer conquista com suas trapalhadas, suas caretas e seu jeito nonsense de ser. Palmas para ele!!



Número 1

E o primeiríssimo lugar vai para........ (suspense!)

Karen Walker e Jack McFarland interpretados por Megan Mullally e Sean Hayes na sitcom americana Will & Grace transmitida originalmente pela NBC de 21 de setembro de 1998 a 18 de maio de 2006.


Sim, um casal! - ou quase.
Quando se fala em Will & Grace + rouba-cena, é impossível escolher apenas um. Jack e Karen, que a princípio seriam apenas personagens secundários, terminam ganhando destaque por sua incrível química, e juntos roubam a cena dos já engraçados Will e Grace.


Karen é uma socialite milionária graças a seu marido Stan Walker, é egocêntrica, maldosa, está sempre bêbada, tem uma voz aguda irritante e possui um senso de humor ácido em relação aos outros, podendo até ser considerada preconceituosa. Supostamente, ela trabalha de assistente de Grace Adler, apesar de nunca estar no escritório ou sequer saber como se usa uma máquina de fax. Ela é uma personagem emocionalmente complexa, enclausurada numa fachada de desinteresse, egoísmo e mesquinhez. Ela está sempre criticando as roupas da Grace e chamando o Will de Wilma.


Jack McFarland conhece Will desde a faculdade quando o incentivou a “sair do armário”. Gay assumido, quase caricato, é extremamente vaidoso e egocêntrico, com grande admiração por todos os ícones gays, especialmente Cher, guardando com orgulho a rara boneca réplica da cantora. Sobrevive de vários bicos, mas principalmente os que estão relacionados ao mundo do teatro, pelo qual é apaixonado. Seus frequentes pulinhos, poses e entradas triunfais são clássicos na série. Quase todos os dias ele encontra o homem da sua vida, ou um amor eterno, sendo que seus relacionamentos duram muito pouco.

A série possui 8 temporadas. 8 temporadas de muita risada e muita história, muitas cenas roubadas.

“- Olhe, querida, quando eu fico estressada eu costumo...
- Você costuma o quê?
- Puxa, acho que nunca fiquei estressada. Afinal porque eu ficaria? Eu não tenho nenhuma responsabilidade, meu trabalho é moleza e eu sou bem equipada. Bom dia!
- Ah, quando você disse isso, apareceram duas ruguinhas lindas bem aqui.
- O quê? Onde?
-Sentiu? Isso é stress!” (Karen e Grace)

“- Bom Karen, se tivesse me convidado para jantar – mas não convidou, obrigado, porque eu estava ocupado mesmo – eu faria massagem cardíaca nele. Eu sei fazer.
- Você sabe fazer?
- Eu sei. Eu fiz no meu pai quando eu contei que eu era gay. Se bem que eu acho que ele ficou mais confuso do que já era.” (Jack e Karen)

“- Karen, até as vítimas da moda também podem ser vítimas de asfixia.
- Tem certeza? Talvez seja apenas seleção natural das espécies.” (Jack e Karen)

“Está tudo bem. Uma parte de mim está com raiva, mas a outra está orgulhosa. E o resto está apenas bêbada.” (Karen)

“- Tinha acabado de sair da faculdade. Estava sem dinheiro. É a história mais antiga do mundo: garoto conhece garota, garoto quer que a garota faça um filme de sadomasoquismo, garota pergunta: Pelada? Garoto diz: Sim. Garota diz: Esqueça! Garoto diz: Ok, então apenas use essa roupa de borracha e bata no cara com uma escova. Garota pergunta: quão forte?” (Karen)

“ – Senhora Walker, tenho algumas novidades sobre o seu marido.
- Seja direto doutor, eu vou ter um futuro solitário com lembranças boas ou o Stan vai morrer?” (Karen e o médico após Stan ter um infarto.)

“- Karen, eu vi o que você acabou de fazer.
- Você não viu nada.
- Karen tem um coração! Karen tem um coração!
- Está bem, nem sei por que fiz isso. Talvez seja como está escrito na bíblia: ‘Estava triste porque eu não tinha sapatos, então... eu encontrei alguém que tinha sapatos muito ruins.’ ” (Grace e Karen)

“Will, Will, Will, compre um computador para mim. Eu quero um da cor de tangerina, para combinar com os sapatos que você irá comprar para mim depois.“ (Jack)

“Casamento heterossexual é errado. Se Deus quisesse que homens e mulheres ficassem juntos, ele teria dado pênis aos dois.“ (Jack)

“Por que? O que foi que fiz? Meu único crime é ser irresistível.“ (Jack)

“Oh Karen… debaixo desses seios grandes bate um coração tão grande quanto esses seios.“ (Jack)

“É tão legal que a Grace faça essas coisas para você. Sortudo! Um dia, também espero ter uma amiga trapaceira.” (Jack)

“É melhor que seja importante. Estava falando com o Rory sobre uma cera de depilação que quase lhe custou um mamilo.” (Jack)

“Hey! HEY! Isso não é o programa Will & Grace! É o Just Jack!“ (Jack)

“Coitado do Will, até as mulheres dão o cano nele.” (Jack)

“Minha nossa, eu simplesmente adoro apostar aqui em Vegas. Claro que eu posso perder 100.000 mas os drinques são grátis então fica tudo empatado!" (Karen)


“Querido, o que era aquilo? Dois homens ou duas mulheres?” (Karen)

“Vamos Grace, é como diz a bíblia: ‘a melhor forma de se sentir melhor é fazendo alguém se sentir pior.’ E nada pior que uma socialite empurrando alguns ‘Tacos Gigantes’ pela goela abaixo.” (Karen)

“Maridos vão e vem, mas um sapato Chanel é para sempre.” (Karen)

“A minha experiência diz que quando existem problemas entre marido e mulher, um nunca deve colocar a culpa no outro, porque a culpa é sempre do marido.” (Karen)

“Sabe o que é triste? Pobres que têm sonhos. Bem, não é tão triste quanto é extremamente engraçado.” (Karen)

“Se você quer que as pessoas gostem de você, compre coisas para elas.” (Karen)

“Ah, querida, eu amo você como a mãe que eu mandei internar." (Karen)




Um comentário:

Lu Cantanhede disse...

adorei o blog e essas listas de personagens q vc faz, alguém q vê anime, seriado adulto e infantil, filmes diversos e poesia de primeira, estou encantada.