domingo

Top 6 - As melhores Anti-heroínas.

Olá pessoas!
Bom, eu estava procurando por frases de uma certa personagem de um desenho que eu gosto muito e então surgiu a idéia de fazer um top 6 (era 5, mas eu não consegui restringir a lista para o número certo) com as melhores anti-heroínas da Histórias. Ok, não da História, mas as seis melhores de acordo com o meu ponto de vista.

Pra quê? Não faço a menor idéia. Mas foi divertido buscar no meu bagunçado cérebro as melhores das melhores. Eu sou uma grande fã desse tipo de personagem que não são exatamente as mocinhas – e nem as vilãs! – são simplesmente um meio termo dos mais agradáveis e eu, se fosse uma personagem em um livro, série, filme ou mesmo em um desenho, adoraria ser uma anti-heroína dessas com tiradas sarcásticas e acidez emocional – E porque, como diz Nene Altro: “Meninas boazinhas vão para o céu tirar pó do corredor e limpar pena de anjo sem pau. Meninas más sangram, mas vivem.”

Então foi muito difícil escolher as que mais me encantam e, diga-se de passagem, o mundo está repleto de adoráveis – ou não tão adoráveis – anti-heroínas. Entre elas temos:

Íris – da novela Laços de Família.

Anita – da mini-série Presença de Anita.

Ana Bolena – retratada no filme A Outra (The Other Boleyn Girl) e interpretado pela poderosíssima Natalie Portman.

Vampira – não a do filme, mas aquela das séries em quadrinho e do desenho X-Men: Animated Serie.

Rachel – interpretada pela atriz Lindsay Lohan no filme Ela é a Poderosa (Georgia Rule).

Cláudia – a pequena vampira interpretada por Kirsten Dunst no filme A Entrevista com o Vampiro. (Não li o livro – ainda.)

Georgia Lass – interpretada pela atriz Ellen Muth na série Dead Like Me.

Lyra Belacqua - Personagem da trilogia Fronteiras Do Universo do escritor britanico Philip Pullman.

Então essas foram apenas algumas das que passaram pela minha cabeça enquanto eu tentava escolher as melhores. (Se sua anti-heroína preferida não está aqui, deixe um comentário que ela será acrescentada à lista.)





Número 6:

Greta interpretada por Hilary Duff no filme Greta (According to Greta).


Greta é uma garota de 17 anos com humor sarcástico, uma atitude ruim e uma forte tendência suicida. Ela é a típica personagem que machuca todo mundo à sua volta apenas para ninguém machucá-la. Sua mãe tentando salvar seu terceiro casamento manda Greta para a casa dos avós no verão em Ocean Grove onde a maioria dos habitantes são idosos. A questão é que Greta tem um plano. Ela pretende se matar antes de completar 18 anos e não se importa nenhum pouco de cuspir na cara de qualquer um isso, que até poderia ser uma piada. Mas não é.

Ela mantém uma lista de formas de morrer e coisas a se fazer antes de morrer. Bom, ela termina se envolvendo com o cozinheiro bonitinho do restaurante onde trabalha e quase faz o garoto ir pra cadeia quando marca um encontro com ele em seu quarto. Mas depois que a avó quase morre por causa do coração – uma crise provocada por um susto que Greta lhe dá, numa fraca tentativa de suicídio, a garota começa a mudar e a repensar sobre seu comportamento.

A Greta quase saiu dessa lista por se tratar de uma personagem tão dramática e por que no final fica bem claro que ela só quer chamar a atenção de todo mundo – ela nunca teve realmente a intenção de se matar, mas sofre pelo desprezo da mãe e a morte do pai. Ainda assim é uma das minhas preferidas. (E ver ela infernizando a vizinha chata é o máximo!)

“Se não quer que eu faça algo, não plante a idéia na minha cabeça.”


“Às vezes a resposta… está bem na sua frente…”





Número 5

Anita Blake – é uma personagem fictícia na série de livros Anita Blake: Vampire Hunter de Laurell K. Hamilton. Ela também aparece na adaptação de sua primeira história, Guilty Pleasures, feita pela Marvel.

Anita é a heroína principal da série escrita por Laurell K. Hamilton. A série acontece em um fantástico mundo paralelo onde vampiros, zumbis, lobisomens, fadas, etc. existem.

Seguindo a tendência – nossa, eu falei mesmo isso? – de vampiros e tudo mais, surge Anita Blake uma caçadora de vampiros em um mundo onde os vampiros são aceitos legalmente, e sendo assim precisam também seguir as leis. Anita é uma ressuscitadora com a habilidade de reviver e conversar com os mortos. Ela é sagaz, competente, bonita e sensual, e como não podia deixar de ser, sarcástica. Ajuda a polícia nos casos em que envolve o sobrenatural e anda sempre armada, é conhecida entre os vampiros por “A Executora”.


“Muita gente não compreende minhas piadas. Se eu fosse só um pouco insegura, acharia que minhas piadas não eram engraçadas. Que nada.” – (Prazeres Malditos)


“Eu não saio com vampiros, eu mato eles.” – (Prazeres Malditos)


“Venho ficando do lado de fora de muitas portas trancadas. Nem sequer uma delas abriu-se assim, facilmente, para mim, mas sempre há uma primeira vez. É, até parece que eu vou viver para ver esse dia chegar. Tire isso. Frase ruim.” – (Prazeres Malditos)

“Muitas mulheres reclamam que não há homens solteiros. Eu só queria conhecer um que fosse humano.” – (Circus Of The Damned)

“Você não se voluntaria para lutar com vampiros, isso diminui sua expectativa de vida.” – (The Lunatic Cafe)

“Eu estava coberta de sangue, mas não era o meu, então estava tudo bem.” – (Obsidian Butterfly)


“Levantar os mortos é fácil. Amor é difícil.” – (Micah)


Livros da série lançados no Brasil:

Prazeres Malditos

O Cadáver que ri.




Número 4

Lisbeth Salander – personagem da trilogia Millennium do autor sueco Stieg Larsson. (Que virou filme na Suécia e foi interpretada pela atriz Noomi Rapace – e também será lançado um filme americano baseado na obra, nomes ainda não foram confirmados para o elenco.)

Lisbeth Salander tem um passado conturbado envolvendo ex-espiões, violência doméstica, uma enorme conspiração e muita injustiça. Desde criança foi vítima de abusos judiciais, abuso por parte do psiquiatra responsável por seu caso e também, abusos que sofreu na mão de um tutor sem escrúpulos. Ela provavelmente – já que nunca foi realmente diagnosticada – sofre de síndrome de Asperge; é totalmente isolada, tem uma vida social que beira o zero absoluto e é uma hacker de primeira. Adora um enigma, adora decifrá-los e preza acima de tudo sua vida pessoal. Fala pouco, mas retêm os mínimos detalhes – ela tem memória fotográfica. E apesar de não ter terminado os estudos, ela provavelmente é mais inteligente que a maioria das pessoas, e entende de matemática e genética e tudo relacionado a ciência, de forma que nós, pobres mortais, nem sonhamos.
Tem uma aparência de garota frágil, mas na hora da briga deixa muito marmanjo no chinelo. Já enfrentou um serial killer (com taco de golfe na mão), aprendeu boxe com um dos maiores nomes na Suécia, Paolo Roberto, já enfrentou dois brutamontes integrantes de uma gangue criminosa (motoqueiros). Vingativa e violenta. E se você quiser saber algo da vida dela, vai receber provavelmente essa resposta: - Isso não é da sua conta. Vá se f.... (isso, se ela te responder!)
Comparada pelos próprios suecos à personagem infantil Pippi Meia-Longa [que em sua série de livros e filmes recebeu a alcunha de "A mulher mais forte do mundo"].

Lisbeth Salander ganha o quarto lugar (disputadíssimo!) como uma das anti-heroínas mais interessantes já criadas na literatura. Palmas para ela!


“- Todo mundo tem segredos – ela respondeu imperturbável. – Trata-se apenas de descobrir quais.”

“Ela nunca fazia nada sem antes pesar as conseqüências.”

“Lisbeth Salander nunca esquecia uma afronta e estava disposta a tudo, menos a perdoar.”

“Para ela, esses centros de apoio destinavam-se às vítimas, e ela nunca tinha se considerado como tal.”

“Lembrou que ela sabia tudo a respeito dele – não o contrário. Conhecimento é poder.”

“Lisbeth Salander examinou-o demoradamente, então concluiu que era um abobado e que não pretendia gastar mais que poucos segundos pensando na existência dele.”

“Inocentes não existem. Em compensação, existem diferentes níveis de responsabilidade.”

“Mikael sentiu seu coração se apertar. Queria a todo custo encontrar Lisbeth Salander e abraçá-la.
No mínimo, ela iria mordê-lo se ele tentasse.”

“Seu corpo e sua alma tinham recebido muito mais pancadas do que um ser humano deveria receber.”

“Lisbeth Salander demarcava seu território para que ele parecesse hostil. Mikael sempre associava as tachas da jaqueta de couro de Lisbeth aos espinhos de um porco-espinho. Era o mesmo mecanismo de defesa. Era um sinal para os que a cercavam. Não tente me afagar. Vai doer.


Um fato sobre Lisbeth Salander:

“No ginásio, Lisbeth Salander desentendeu-se com um rapaz bem mais alto e mais forte que ela. do ponto de vista puramente físico, ela não representava um grande obstáculo para ele. Várias vezes o rapaz divertiu-se em fazê-la cair, para depois esbofeteá-la quando ela tentava reagir. Mas, apesar dessa superioridade, a idiota insistia em reagir e, depois de algum tempo, mesmo os outros alunos começaram a achar que a coisa estava indo longe demais. Ela era tão visivelmente indefesa que dava pena. O rapaz acabou por acertar-lhe um soco magistral que cortou seu lábio e a fez ver estrelas. Ficou caída no pátio do ginásio. Passou dois dias em casa. na manhã do terceiro dia, esperou seu algoz com um taco de beisebol e o desferiu contra sua orelha. Isso lhe valeu uma convocação do diretor, que decidiu apresentar queixa contra ela por agressão física, o que resultou em um inquérito.”


O que algumas pessoas pensam sobre Lisbeth Salander:

“- Ela não faz nada que não sinta vontade de fazer. Não dá a mínima para o que os outros pensam a seu respeito. É de uma competência extraordinária. E é completamente diferente das outras pessoas.” (Dragan Armanskij)

“- É uma pessoa muito sozinha e diferente. Socialmente fechada. Não gostava de falar de si mesma. Ao mesmo tempo, é dotada de uma vontade muito forte. E tem um grande senso moral.
-Moral?
- Sim. Uma moral muito própria. Ninguém consegue obrigá-la a fazer nada que não seja da vontade dela. No mundo da Lisbeth, as coisas são ‘boas’ ou são ‘ruins’, por assim dizer.” (Mikael Blomkvist)

“- A menina é birutinha... mas é do bem. Gosto dela.” (Paolo Roberto)

“É melhor não deixar Lisbeth Salander nervosa. A atitude dela com as pessoas à sua volta é: se alguém a ameaça com um revolver, ela consegue um revolver maior.” (Holger Palmgren)

“Eu admiro Lisbeth Salander. Ela tem mais fibra do que eu. Se tivessem me amarrado com correias quando eu tinha apenas treze anos, é provável que eu tivesse desabado completamente. Ela revidou com a única arma de que dispunha. Em outras palavras, seu desprezo.” (Annika Giannini)





Número 3


Samantha Puckett (Sam) do seriado infantil iCarly interpretada pela atriz Jennette McCurdy.


Melhor amiga da Carly – ficaram amigas depois de um desentendimento por causa de um sanduíche de atum, há cinco anos. Dizem que se não fosse a boa influência de Carly, ela provavelmente já estaria presa.

Vive batendo no Freddie, apesar de já ter dado uns beijos nele. Tem uma mãe esquisitona e por causa disso passa a maior parte do tempo na Carly. É co-apresentadora do programa na web iCarly, onde apresentam os quadros mais esquisitos de toda web. Vive de detenção, e come exageradamente (ela adora Frango frito), odeia qualquer tipo de trabalho, é egoísta, preguiçosa e muitas vezes, é indiferente aos sentimentos alheios. Mas apesar de tudo é uma boa amiga. Tem uma irmã gêmea, Melanie, que não suporta apenas porque a garota é toda certinha.


Samantha Puckett ficou em terceiro lugar não apenas por ser uma grande anti-heroína, mas também por ser muito engraçada. Vale à pena conferir a série da Nick.






Número 2


Lucy Van Pelt - é a irmã mais velha de Linus na HQ da série Peanuts (Snoopy) de Charles Schulz.


Ela tem uma forte e predominante personalidade, é muito cínica, grita muito, é impaciente, muito mal humorada e freqüentemente é malvada com os outros personagens da série, particularmente com o irmão Linus e Charlie Brown. Os seus sorrisos e motivos raramente são verdadeiros. Costuma apresentar argumentos sem lógica e as suas perspectivas são sempre egocêntricas, a sua maneira de ver as coisas é única. Lucy gosta de Schroeder, que prefere tocar Beethoven a estar com ela.
Talvez a imagem mais famosa de Lucy seja uma em que ela segura uma bola de futebol americano para que Charlie Brown a chute e tira a bola no último momento, fazendo com que Charlie tenha sempre quedas muito aparatosas. A primeira vez que isto aconteceu foi a 16 de Novembro de 1952, mas repetiu-se algumas vezes e tornou-se um clássico.
Lucy é frequentemente fastigada pelo seu irmão que é mais novo e também mais passivo. Ela enerva-se muitas vezes ao ver Linus sempre agarrado ao seu cobertor tentando por vezes roubá-lo ao irmão e enterrá-lo. Uma vez ela fez uma pipa com o cobertor e "acidentalmente" largou-o. O cobertor voou por todo o país e havia pessoas que escreviam a Linus para lhe dar noticias sobre o seu cobertor. A força aérea acabou por salvá-lo quando este já voava sobre o Oceano Pacífico.
Além de tentar curar o irmão do seu vício (cobertor), Lucy costuma tratar Linus como lixo, sujando com os lápis de cor, mudando o canal de televisão ou apagando-a enquanto Linus está assistindo, e o forçando a tratá-la com generosas palavras antes de considerar compartilhar comida com ele ("Obrigada, querida irmã, a melhor irmã do mundo, sem a qual eu não poderia sobreviver!"). Lucy também trata a Linus como seu servente pessoal, forçando-o a trazer-lhe um lanche ou algo para beber enquanto ela assiste tv.
Certa vez, Lucy gabava-se de conduzir Linus "como um pianista conduz um piano de cauda", o que não está tão longe da verdade. As tentativas de Linus de se auto-afirmar e resistir à sua irmã tipicamente resultam em derrota verbal ou física. Lucy não esconde o fato de que ela gostaria de ter sido filha única, e já tentou expulsar Linus de casa algumas vezes.

Lucy: "Schroeder… por que você nunca me mandou flores?
Schroeder: "Porque eu não gosto de você!
Lucy: "Você não gosta de mim, né, Schroeder?"
Schroeder: "Não. Na verdade eu nunca gostei de você e é provável que eu nunca venha gostar."

Lucy: "Mas não vamos deixar isso atrapalhar o nosso eventual casamento, não é?"

“Eu era mal humorada quando nasci, sou mal humorada hoje e serei mal humorada pelo resto da minha vida… Que alívio!”

”Eu não vou dizer que você consegue ganhar, Charlie Brown, porque você não consegue. E todos os outros falam que você consegue pra não te chatear. Você está transformando todos em um bando de hipócritas, Charlie Brown!”

“Cada geração tem de ser capaz de culpar a geração anterior para seus problemas.. Não resolve nada, mas faz se sentir melhor”.
Charlie Brown: Dizem que a força da gravidade é 13% menor do que era 14,5 bilhões de anos atrás.
Lucy: De quem é a culpa?
Charlie Brown: Culpa? Não há culpa.
Lucy: O que você quer dizer “Não há culpa?” Tem que ser culpa de alguém! Alguém tem de tomar a culpa! Encontre um bode expiatório.
“Eu nunca cometi um erro na minha vida. Eu achei que cometi uma vez, mas estava errada.”
“Eu estou em uma nova campanha para ser agradável para as pessoas.”

"Eu valho todo o tempo que se leva pra me conhecer. Em outras palavras: me conhecer é me amar, Schroeder"



Número 1

Mandy – do desenho infantil “As Terríveis Aventuras de Billy e Mandy” (The Grim Adventures of Billy and Mandy).

Mandy é uma garotinha de personalidade e atitudes cruéis. Seu melhor amigo é o Billy, um garoto de nariz grande e cérebro pequeno. No início da série, o Ceifador – conhecido por Puro-Osso – aparece para levar o hamster decrépito do Billy, ele e Mandy desafiam o cara a um jogo. E adivinhem só? Ele perde – claro que a Mandy trapaceia, mas depois disso ele é obrigado a ser o melhor amigo dos dois, ou melhor, escravo dos dois.
Ela tem o cabelo loiro com um penteado que lembra a forma de chifre de um diabo e sobrancelhas que estão sempre franzidas, embora sua expressão mude em raras ocasiões de medo ou desgosto. Ela não sente medo, nem amor e são raros os momentos em que se importa com seus amigos ou sorri, e em um desses momentos o fato de ter sorrido quebrou o equilíbrio do Universo, então eles foram para o Universo das Meninas Super Poderosas, e Irwin virou o Macaco Louco. Ela não fica atrás quando se trata de se aproveitar dos idiotas (principalmente do Billy) e em várias ocasiões foi descrita como o puro mal; Puro osso costuma chamá-la de: "peste do demônio". Ela pode facilmente intimidar pessoas inferiores para fazer alguma coisa para ela (com a possível exceção da mãe do Billy), inclusive seus pais a temem – eles já falaram que quando ela nasceu uma alcateia de lobos se ofereceu para cuidar dela e ela é mal-humorada desde que era um feto. Ela é vista como marrenta e destemida, raramente se abate frente a monstros ou outras criaturas. A única coisa a qual ela foi vista correndo, foi de uma furtiva cólera de Billy. No entanto, em um episódio Billy faz comentários sobre seu medo de astros profissionais da patinação, e ela retruca: "Isso não é medo, eu só não acredito na maneira que eles giram, é tudo."


O melhor episódio:

Mandy se apaixona! Esse é o melhor episódio e aquele que me deixou muito fã dela!
Quando aparece um garoto novo na escola, Billy apresenta como seu novo melhor amigo – apesar de nem saber o nome do cara, que Billy batizou de Bife. Assim que vê o garoto, Mandy começa sentir as pernas bambas, o coração acelera, suas mãos suam, e seu rosto fica vermelho. Quando tenta falar com Bife, fica parecendo uma pateta e sai correndo. Quando ela descobre que o mal vem do coração decide pedir ao Puro-Osso que retire seu coração fora, e o cara aceita na maior boa vontade - afinal é uma chance única! - mas quando descobre o por quê, ele tem outra idéia. Então a Mandy aparece femme fatale, bonita e má, e o Bife tem a mesma reação que ela. e quando finalmente o garoto consegue convidá-la para o baile da escola, ela responde um NÃO bem dado e lhe dá um soco na cara.

Senhoras e senhores, essa é a minha anti-heroína número 1!


“O amor é para pessoas fracas.”

“… Geralmente sou a favor do abuso e exploração dos tolos…”

“A felicidade é o caminho mais curto para a estupidez.”

“… Não tenham medo do fracasso… (Mandy)… Porque ele faz as famílias unidas” (Billy)

“Não basta apenas ter sucesso, outros têm que fracassar.”

“A moralidade é somente para pessoas comuns.”

“O caminho da estupidez é cheio de boas intenções.”

“Lembre-se, Amor só rima com dor.”

“Você está por baixo, mas acredite,
ainda não é o suficiente.”

“Dar mole chama atenção, mais ser mau bota nos eixos.”

Mandy para o Bicho Papão: “Vou chutar tanto essa sua bunda suja azul, que você vai ter que sentar com os olhos.”

“O amor só foi inventado pra vender mais chocolate.”

“Esse é o meu mundo... e você só está aqui por que eu deixei você entrar.”

“Humildade é pra quem não se garante.”

"o mundo está quase todo em ordem, cabe a nós restaurar o caos.”

"Somos só você e eu contra o mundo … Atacamos ao amanhecer.”


“O pior em ter uma queda por alguém...
é que sempre dói no final...
Por isso agente chama de queda!”

6 comentários:

Renata Lobo disse...

Fontes para esse post:
http://pt.wikipedia.org/
http://puroosso.50webs.com/
http://www.anitablake.com.br/
Prazeres Malditos - Laurel K. Hamilton
Os Homens que não Amavam as Mulheres
A Menina que Brincava com Fogo
A Rainha do Castelo de Ar
(Stieg Larson)
Orkut (Comunidades e Fóruns)
^^

André HP disse...

Topa publicar esta lista em uma revista? http://formigueirocomunista.com/sss/2010/04/revista-medulla-producao-cultural-no-ciberespaco/

É uma iniciativa sem fins lucrativos, portanto não há remuneração.

Se topar avisar. O material é bom. Pode até passar a ser articulista mensal.

Abraço!

Renata Lobo disse...

André,
Sim, eu topo.
Adorei o projeto - Medulla promete ser uma revista bem interessante!
Adoraria ver o meu top 6 nela!
articulista mensal? Sério mesmo?
Eu li a revista... não sei se eu tenho cacique para isso. Quero dizer, cara, vocês são bons!...
Bom, qualquer coisa, me manda um e-mail:
gwillyon@hotmail.com
bjo

Questão Fundamental disse...

Prezada amiga Renata,

Cheguei aqui por total acaso. Simplesmente cliquei no "blog seguinte" para que bicho dava. Mas Tirei sorte grande e cai nessa impagável lista das 6 anti-heroínas. Perfeita! Sem dúvidas, vc no mínimo mostra que tem talento, o suficiente para participar qualquer publicação que exista ou venha a existir.

Quero dizer que a partir de agora, vc está entre as minhas leituras bloguistas favoritas.

Chamou-me particularmente a atenção a Lisbeth Salander da não menos maravilhosa trilogia Milenium. A reunião de frases sobre esta personagem riquíssima de significados é impagável.

Virei seu fã.

bjo

julio

A Escafandrista disse...

Fazia tempo que eu não ria tanto lendo um blog! parabéns pela postagem.

Isis disse...

adoreiiii essa postagem, simplesmente adoro tds essas nti-heroínas!são infinitamente mais interssantes do que as chatas mocinhas e sem graças heroínas!
ps; conseguiu mais uma fã pro seu blog!auhauhauhauh